Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

"Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida"

A célebre frase foi proferida por Confúcio, pensador e filósofo chinês que tinha como base a moralidade pessoal e governamental, os procedimentos correctos nas relações sociais, a justiça e a sinceridade.

A frase pode ser, para muitos, um verdadeiro cliché, mas quando é aplicado na vida real é verdadeiramente satisfatório ver como existem pessoas felizes naquilo que fazem  profissionalmente. É tão bom ver alguém ter gosto na sua profissão e, quando essa profissão tem como sumo o atendimento ao público (difícil) e a venda (ainda mais difícil), é fundamental que do outro lado do balcão esteja alguém capaz de cativar o potencial comprador, sem ser uma melga gigante. O potencial comprador não é parvo e sabe distinguir quando está a ser levado numa conversa comercial e quando está a ter uma conversa com alguém com gostos similares e que tem prazer em estar ali.

Ontem, na primeira saída de casa após baixa médica sem ser para hospitais, workshops de preparação para o parto e compras para o bebé, terminei o meu retorno à civilização com uma visita à Bertrand do Campo Pequeno.

Entrei sem qualquer objectivo de compra, visto ter alguns livros em lista de espera e pelo facto da Feira do Livro estar mesmo à porta (se bem que eu só poderei mesmo ir um ou dois dias). A ida à Bertrand foi mais para estar a par das novidades, dos destaques e das oportunidades de compras boas e baratas. Depois de uma volta superficial à loja e um olhar na diagonal às estantes, achei um livro que me cativou: pelo título e pela sinopse. Peguei nele e dirigi-me à caixa e foi aí que tive um diálogo fantástico com o senhor que me atendeu.

Ele, num banal diálogo, chamou a minha atenção e fez com que eu adquirisse o livro da semana, não pelo desconto de quase 7€ no cartão de Leitor Bertrand, mas pela forma que me descreveu o livro e pela maneira apaixonada como falava sobre os livros da sua vida.

Não fixei o nome do colaborador, mas não podia deixar em branco esse episódio, já que em muitas Bertrands se encontra gente de mal com a vida e que, enquanto nos atendem, falam com o colega da caixa ao lado.

 

Atendimento 5 estrelas!

 

Ah! E os livros foram quais, perguntam vocês?

 

Irmãs, Claire Douglas

O meu escolhido.

irmas.jpg

 

As Esganadas, Jô Soares

A sugestão.

As Esganadas, Jô Soares.jpg

 

 

 

 

 

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.