Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

It's a boy | Um ano depois

Faz hoje um ano que soubemos que íamos ser pais de um menino.

No meio de um discurso com termos demasiadamente burocráticos para leigos em medicina e que nos obrigava a interromper constantemente o discurso da médica com um “Mas isto é bom ou mau?”, lá ela nos disse que íamos ser pais de um menino. Estávamos tão ansiosos por saber se estava tudo bem com o bebé que nem ouvimos o que ela nos disse e, foi só depois do meu marido ter perguntado se já se conseguia saber o sexo, é que a médica nos disse que já tinha dito, mas que podia repetir: nós íamos ser pais de um menino. A partir de hoje podíamos falar dele mencionando o nome escolhido: Francisco.

 

Foi neste dia também que tivemos a suspeita de que, em princípio, o nosso bebé iria nascer com pé boto … uma coisa que nunca tinha ouvido falar e que, dada a normalidade com que a médica nos falou sobre o assunto, foi algo que apaguei da minha mente, deixando o destino fazer o seu rumo. O nosso bebé estava saudável e a crescer como esperado. Apesar de haver esta suspeita, a médica colocou um ponto de interrogação no pé boto, uma vez que ora estava direito, ora estava torto. Tínhamos que esperar por uma próxima ecografia para ver se se confirmava ou não. Nada mais importava. Íamos ser pais de um Francisco. Íamos ter um menino em casa.

 

 

Oito meses (quase nove) do seu nascimento e um anos depois de sabermos que era um “ele”, o Francisco é o nosso amor maior. Um bebé querido, meigo, amado e feliz, muito, mas muito feliz.

8 meses de Francisco

Sorris sempre que nos vês espreitar na porta da tua sala na escolinha. Deliras quando um de nós chega a casa. Dás palminhas a qualquer hora do dia (ou da noite). Danças quando ouves música. Fazes sons que são verdadeiras pérolas para os nossos ouvidos (com excepção de quando abres as goelas durante a madrugada). Já tentas engatinhar e tentas alcançar tudo o que está à tua volta sem receios de te aleijares. Fazes festinhas na nossa cara e, sem saberes, pões a nossa cara como se tivessemos dormido com gatos, isto tudo porque a mãe empurra com a barriga a altura de te cortar as unhas. Adoras a hora do banho e fazes sempre fita quando te tiramos da água. Comes papa, sopinha de peixe, sopinha de carne, fruta e iogurtes (com excepção de quando estás mais doentinho, não negas a comida ... és um bom garfo). Já te levantas no fraldário e do berço ... É preciso ter um olho em cada fio de cabelo e nunca, mas nunca mesmo, virar as costas. Adoras ver o teu reflexo no espelho. Adoras livros (rico filho, eu sabia que ias gostar de livros) e de bola (vá, para o papá ficar contente). És um querido para os amiguinhos da escola e um meiguinho para com as educadoras e auxiliares. Todos dizem que és um amor, sorridente e feliz.

 

Sim, és um bebé feliz e hoje completam-se 8 meses que chegaste às nossas vidas para nos tornares ainda mais felizes.

 

De teorias está o inferno cheio

O Francisco nunca foi bebé de dormir uma noite inteira.

 

Minto ...

O Francisco dormiu as duas primeiras noites em casa inteirinhas. Eu, mãe orgulhosa do meu petiz, dizia à boca cheia o quão maravilhosa tinha sido a noite e os treinadores de bancada lá diziam que não, não podia ser, que o bebé necessitava ser alimentado de duas em duas horas, porque tinha de o acordar e patati, patatá!

Eu, mãe de primeira viagem, inexperiente neste assunto de bebés, fui na conversa e passei a acordar o herdeiro para comer ... Estúpida, estúpida, mil vezes estúpida! Nunca mais tive uma noite sossegada e agora não vale a pena chorar sobre o leite derramado. Apesar de acordar uma ou duas vezes para comer, o Francisco ficava ko após o biberão. Arrotava e, mal o colocava no berço, voltava a dormir. Contudo, de uns tempos a esta tarde, que é como quem diz, desde que teve a maldita bronquiolite, tem sido muitooooo complicado. A bronquiolite já passou, mas a tosse continua e, sempre que tosse é um filme para recomeçar a dormir. Para além disto, não consigo fazer com que vá para a cama cedo e é sempre outro filme para que se deite e adormeça. Deu-me para comentar o assunto de como é complicado fazer com que ele adormeça à noite e lá chegaram mais um rol imenso de teorias ... Não o deixe dormir muito durante o dia; siga uma rotina diária para que ele assuma que está na hora de ir para a cama, patita, patatá, blá blá blá ... Já tentei de tudo e mais um par de botas e é sempre o mesmo filme ... Durma a sesta ou não durma, o puto quer é rambóia quando o sol se põe. Comentei com a minha mãe sobre o assunto e ela, sábia como são as mães, foi-se e apenas disse: "A quem será que ele sai?" Eu amarrei a burra e calei-me. Se o puto é um mini-me em praticamente tudo, era normal que os hábitos de sono fossem tal como a senhora sua mãe.

 

Espero que seja apenas mais uma fase e que tudo volte a ser como dantes. Nem peço que durma a noite inteira. Só peço que volte a estar como estava há um mês: ia para a cama sem filmes, adormecia, acordava para comer e voltava a dormir.

 

É esperar para ver.