Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

Fúria Divina, José Rodrigues dos Santos

Uma mensagem secreta da Al-Qaeda faz soar as campainhas de alarme em Washington. Seduzido por uma bela operacional da CIA, o historiador e criptanalista português Tomás Noronha é confrontado com uma estranha cifra - 6AYHAS1HA8RU.



 


Ahmed é um menino egípcio a quem o mullah Saad ensina na mesquita o carácter pacífico e indulgente do islão. Mas nas aulas da madrassa aparece um novo professor com um islão diferente, agressivo e intolerante. O mullah e o bovo professor digladiam-se por Ahmed e o menino irá fazer uma escolha que nos transporta ao maior pesadelo do nosso tempo.


E se a Al-Qaeda tem a bomba atómica?


Baseando-se em informações verídicas, José Rodrigues dos Santos confirma-se nesta obra surpreendente como o mestre dos grandes temas contemporâneos. Mais do que um empolgante romance, Fúria Divina é um impressionante guia que nos orienta pelo labirinto do mundo e nos revela os tempos em que vivemos.


 


Comprei-o no seu lançamento no Centro Comercial Colombo, local que, na minha opinião, não foi o mais adequado para o tão aguardado regresso de José Rodrigues dos Santos.


A confusão era imensa; já o é num dia normal de ida ao shopping mas, misturado com o lançamento de um novo livro de um dos escritores mais vendidos em Portugal e com o mediatismo em volta do sumo da obra, foi impossível ouvir o escritor e os demais convidados, como também foi impossível sequer chegar junto a JRS e pedir para que autografasse a obra. Ficará para uma próxima Feira do Livro!


 


Sendo uma viciada na leitura, por vezes compro os livros que me interessam quando estes são lançados, fazendo com que a lista de livros por ler fique enorme e parada por algum tempo. Foi o que aconteceu com Fúria Divina.


Devido ao facto de ter muitos livros inclinados para as "teorias da conspiração", levei alguns meses sem poder olhar para obras deste género. Sou da opinião de que o nosso estado de espírito condiciona o nosso tipo de leitura, fazendo que um livro seja bom ou mau consoante a altura que o lemos.


Cansada de todas as conspirações que andava a ler, achei que seria de bom tom fazer esperar o Tomás Noronha por alguns meses. Não fosse ele ficar "pendurado" e ser abandonado a meio da leitura.


 


Minto se disser que gostei do livro da primeira à última página!


Levei-o comigo para mais uma ida a São Miguel e foi deveras doloroso ingrenar na leitura. Talvez não tenha esperado o tempo suficiente para me limpar de toda a conspiração que andou à minha volta. Mas, foi sol de pouca dura! Rapidamente consegui envolver-me na história e não conseguia para de a ler, já que aborda uma temática bastante mediática, envolvente e polémica - o Fundamentalismo Islâmico.


 


Aquando da escrita deste post, já há um novo romance de JRS nas bancas - O Anjo Branco. Já o tenho em minha posse e já me está a fazer companhia à noite. Em breve poderão encontrar a minha apreciação.


 

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.