Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

Da ilha com amor #1

Sempre que vou à ilha, faço os possíveis para trazer um bocadinho dela dentro da mala, seja em forma de recordações do lar que partilhei com os meus durante 26 anos ou em sabores tão genuinamente nossos. Da última visita - em Maio - trouxe tudo, incluíndo os sabores! Uma amiga já me tinha falado dos novos chocolates com sabores tipicamente açoreanos e eu aproveitei a ida à terra para trazê-los  e saboreá-los no novo lar.

 

Falo dos novos chocolates açoreanos, com sabores das nossas terras e das nossas gentes. Denominam-se "Alves DeVine - O Chocolatinho" e, uma caixa composta por 20 sabores, é uma verdadeira caixa de Pandora com segredos por desvendar. Os sabores são nossos, tão nossos - do Chá Verde à Pimenta da Terra, passando pelo caramelo, pelo maracujá, pelo ananás, ou pelos licores de tangerina, de amora, de maracujá, de ananás ou de anis. Claro que não nos podemos esquecer do tão afamado Queijo da Ilha, do Mel Multiflora ou da perfumada Hortelã-Pimenta.

Cada chocolate é uma viagem gratuita aos sabores dos Açores.

 

Aves DeVine - O Chocolatinho é produzido e embalado pela empresa com o mesmo nome. Sita à Avenida Filarmónica Lira do Norte, n.º 38, em Rabo de Peixe.

Para mais informações, poderão visitar a página de facebook da empresa - cliquem aqui -, ou enviar um email para ochocolatinho@hotmail.com 

 

No escurinho do cinema

Adoro filmes. Sempre que tenho oportunidade e tempo, dedico-me a enriquecer a minha cultura cinéfila. Mas, apesar deste gosto, as idas ao cinema têm sido cada vez mais escassas, uma vez que o escurinho do cinema e o conforto das poltronas são um verdadeiro sonífero e, por vezes, depois de uns meros quinze minutos, já estou a esforçar-me para manter os olhos abertos e a dar cabeçadas na poltrona da frente e, fraca como sou, já foram muitos os filmes que foram passados a dormir. 

Tendo em conta que as idas ao cinema não são programas muitos ecómicos para quem dorme na maior parte do "evento", o meu gosto pelas idas ao cinema foram substituídas por cinema em casa, muitas vezes com direito ao balde de pipocas e ao copo de coca-cola. A coleção de DVD's e o vídeo-clube da ZON (ops ... da NOS) têm sido as minhas mais-valias para alimentar o gosto pelo cinema.

 

São muitos os filmes que estão na "to watch list" ... Assim num ápice, tenho nomes como The Great Gatsby (já cá canta em DVD), Philomena (à espera que esteja disponível no vídeo-clube), Yves Saint Laurent (já está a bombar nas salas mas, lá está, não vou, senão durmo) e, last but not the least, A Culpa é das Estrelas (estreou esta semana).

 

Estes são meros exemplos de uma lista imensa e escolhi-os por me dizerem alguma coisa de particular. O primeiro, como foi objecto de estudo nos tempos da universidade e da cadeira de Literatura Norte-Americana, pela curiosidade de ver as personagens saírem do papel; o segundo, pela temática, por ser baseada em factos reais e pelas excelentes críticas que se ouviu aquando da sua exebição no início do ano; o terceiro, por ser uma biografia de um grande senhora da moda mundial e o último, por ser baseado no livro de John Green, que li há pouco tempo e que sei que será um êxito nas bilheteiras.