Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

My monday mug

Encontrei-a na Ale-Hop do Campo Pequeno e desde então tem sido a minha caneca preferida.

É uma verdadeira pechincha. Custa apenas 3€ e serve tanto para nos mimarmos ou para aquela oferta de Natal mais divertida, para aquela pessoa que, como eu, detesta o início da semana.

 

 
Hoje, usei-a para um lanche calórico mas tão necessário para restabelecer energias. A bola de berlim não é fresca, mas continua saborosa; o café é do mais simples e delicioso que há e a leitura é a minha mais recente aquisição para a biblioteca particular.

Lazy sunday

Depois de dois dias com chuva e frio, o domingo acordou solarengo e com todos os ingredientes necessários para sair e aproveitar mais um lindo dia de Outono. Apesar disto, hoje deu-me para a molenguice. Acordei tarde, preparei um pequeno-almoço diferente do habitual, meti a casa em ordem e passei o resto da tarde a descansar os ossos no sofá, na companhia de uma chávena de chá quente.

 

 

Só para ti, coração

Faz hoje 7 anos que perdi um grande amigo. Alguém que era um irmão, um companheiro de partidas, de vida, de sorrisos e de muitas confidências. Ele partiu cedo demais, mas foi uma pessoa que me marcou tanto e que nunca será esquecido.

Há 7 anos atrás, acordei para mais um dia normal de trabalho. Ia a caminho do meu primeiro emprego aqui no continente e, numa das paragens do metro, olhei para o exterior e olhei para um rapaz, mais um no meio da multidão. Nesta manhã, o que mais me despertou à atenção foram os pés do rapaz, tinham calçados umas All Star pretas e a primeira coisa que pensei foi em ti e nas tuas All Star pretas (quase a tua imagem de marca). Segui caminho e fui trabalhar. A meio da manhã, ligaram-me da ilha a informarem-me que tinhas partido e não quis acreditar. Sai como uma louca e apanhei o primeiro avião que consegui, só para estar junto a ti por mais uns momentos. Eu tinha que me despedir de ti.

 

Hoje, passados 7 anos, és recordado como sempre foste em vida: um AMIGO, um IRMÃO, um COMPANHEIRO, um CONFIDENTE, um ANJO.

Eu e todos aqueles que tiveram o prazer e a sorte de partilharem alguns anos da sua vida contigo só têm a agradecer. Obrigado por teres feito parte da nossa vida.

 

Recordo-te como foste: uma pessoa com um grande sorriso, com uma grande alma e um grande coração. E todos os dias fazes-me falta.