Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

O Caderno de Maya, Isabel Allende

Sou uma fã incondicional de Isabel Allende.

Desde o primeiro livro que li da escritora chilena - Paula - que não tenho mãos (nem bolsos) a medir para ler as suas obras. Aguardo ansiosamente que seja lançado uma nova obra; vou ao site oficial para ver se há alguma novidade; espero sempre que o dia 8 de Janeiro seja um dia inspirador para Isabel, pois assim sei que iremos ter entre nós mais uma grande obra.

 

Em Novembro passado foi lançado pela Porto Editora o tão aguardado novo romance, intitulado O Caderno de Maya.

Segundo a autora, a personagem Maya " (...) fez-me sofrer mais do que qualquer outra das minhas personagens. Em algumas cenas apeteceu-me dar-lhe um par de estalos para a fazê-la voltar à razão, e noutras envolvê-la num abraço apertado para a proteger do mundo e do seu próprio coração imprudente."

Ao contrário das obras anteriores, onde a temática caía no passado da história chilena, O Caderno de Maya debruçasse num tema bastante contemporâneo - o da droga. Isabel Allende sentiu a necessidade de contar uma história mais actual.

 

"Sou Maya Vidal, dezanove anos, sexo feminino, solteira, sem namorado por falta de oportunidade e não por esquisitice, nascida em Berkeley, Califórnia, com passaporte americano, temporariamente refugiada numa ilha no sul do mundo. Chamaram-me Maya porque a minha Nini adora a Índia e não ocorreu outro nome aos meus pais, embora tenham tido nove meses para pensar no assunto. Em hindi, Maya significa “feitiço, ilusão, sonho”, o que não tem nada a ver com o meu carácter. Átila teria sido mais apropriado, pois onde ponho o pé a erva não volta a crescer."

 

 

Um livro será sempre uma excelente oferta e O Caderno de Maya irá com certeza encher a alma de quem o lê.

Prendinhas de Natal

20 Dezembro de 2011

 

Faltam 4 dias para o Natal e consegui finalmente finalizar a minha lista!


Ufa!!! E se a família fosse maior? Terminava a minutos da Consoada?

Festinha de Natal - Parte II

E já se passou o encontro anual da empresa.


Este ano o destino foi Coimbra, fica a meio do caminho tanto para as agências do sul, como para as agências do norte e, desta forma, conseguiram agradar a todos por igual.


Foi um encontro bastante animado, embora o grupo tenha ficado dividido por 3 hotéis diferentes (Dona Inês, Dom Luís e Vila Galé), passamos a maior parte do tempo juntos e conseguimos mostrar que a nossa empresa é grande e unida.


O jantar no Hotel Tivoli foi, digamos, interessante! A comida boa, mas nada de surpreendente. O vinho bom, da Bairrada. E as prendas maravilhosas. Pena não me ter saido nada na rifa!!! Não me importava nada de ter ganho a viagem a Punta Cana.


 


Como não podia voltar para Lisboa com as mãos a abanar, ganhei uma grande constipação.


Não há nada mais agradável do que ir trabalhar com cara de zombie, com o nariz a pingar e sem conseguir fechar a boca.


O bom é que os últimos dias de férias de 2011 estão a chegar a passos largos e poderei recuperar da melhor forma.


 


Resumindo e concluindo ...


Jantar e convívio muito positivo


Prémios muito positivo (que inveja, pá)


Noite muito positiva (já não tenho idade para sair de uma discoteca às 6:00 da manhã)


 


O resto do domingo foi passado no sofá, a recuperar da noitada e das quase 4 horas de sono!