Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

Antídoto, José Luís Peixoto

Antídoto, de José Luís Peixoto, é uma novela de contos inspirada no universo musical do disco The Antidote dos Moonspell.


Gosto muito da literatura de José Luís Peixoto, um jovem escritor que já deixou de ser a revelação da literatura portuguesa contemporânea e passou a fazer parte dos grandes nomes da nossa literatura.


 


Deixo-vos com uma passagem da obra, uma das minhas preferidas:


 


"Somos o medo. Conhecemos tantas histórias. Todos os amantes que olham pela janela e imaginam que se perderam para sempre. Todos os homens que, num quarto de hospital, abraçam os filhos. Todos os afogados que, pela última vez, levantam a cabeça fora de água. Todos os homens que escondem segredos. E tu? Escondes algum segredo? Não precisas de responder. Conhecemos a tua história. Vimos-te mesmo quando não nos vias. Vemos-te agora. Escondes algum segredo? Responde quando te olhares ao espelho. O teu rosto duplicado: o teu rosto e o teu rosto. Quando vires os teus olhos a verem-te, quando não souberes se tu és ou se o teu reflexo no espelho és tu, quando não conseguires distinguir-te de ti, olha para o fundo dessa pessoas que és e imagina o que aconteceria se todos soubessem aquilo que só tu sabes sobre ti. Nesse momento, estaremos contigo. Envolver-te-emos e estarás sozinho."


 


in, Antídoto, pp.9

Regresso ao passado

Não sei se foi da rádio M80, a qual me acompanha durante todo o expediente, se de algumas saudades de momentos vividos no passado, hoje ao ouvir Stairway to Heaven, dos Lep Zeppelin, a nostalgia veio.


 



 


Essa música nem faz parte do meu crescimento, uma vez que nasci em 1978, mas as grandes melodias da década de 70 acompanharam-me durante toda a minha adolescência, talvez por ter sempre convivido com pessoas mais velhas do que eu.


 


Não sei porquê (ou talvez saiba), lembrei-me muito do meu eterno amigo Jota e de muitas outras coisas boas que se passou.


 


O meu pensamento foi para ti, Jota

Pág. 3/3