Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

Liberdade?

Absurdo!


Absurdo é a palavra que me parece ser a mais adequada para descrever o que se passou na Feira do Livro em Braga.

Pensava eu que o tempo da censura e dos livros confiscados já tinha desaparecido do nosso país mas, o nosso Portugal está sempre cá para nos surpreender. Os falsos puritanos que, à luz do dia, batem no peito e que, quando podem, são as pessoas que mais mal fazem, são aí com um lápis vermelho sempre pronto a riscar o que supostamente estará contra do viver português.

 

Onde já se viu um livro exposto em que a capa é uma imagem de uma vagina? Nós, que somos tão certinhos, não podemos aceitar uma situação dessas?

 

Agora a sério!

Aonde nós vamos parar, meus amigos?

 

A imagem supostamente pornográfica é apenas uma grande obra de arte; uma obra do pintor oitocentista francês Gustave Coubert (1819-1877), o qual é considerado o fundador do realismo na pintura, pintada em 1866 e denominada A Origem do Mundo.

A obra, que foi conotada estupidamente pelos nossos grandes agentes da PSP como uma obra de teor pornográfico, chama-se Pornocracia e não Pornografia.

 

Juntar um nome muito semelhante a “pornografia” e adicionar uma pintura do sexo feminino dá uma mistura bombástica. Colocar este bolo numa Feira do Livro no nosso Portugal é bomba atómica de certeza e assim foi. Algumas pessoas não gostaram daquela pouca-vergonha e apresentaram queixa à PSP de Braga. Dois dias depois da apreensão (2 dias), a PSP percebeu que se tratava de uma obra de arte e devolveu todos os livros.

 

Sinceramente!

Estou mesmo a ver os senhores guardas lá na esquadra a verem se a sua apreensão era realmente algo que poderia animar os camaradas que iriam estar de serviço nos próximos dias e depois tiveram o azar de verem que aquilo nem era “pornografia” mas sim “pornocracia”. Mas que raio é isso, “pornocracia”?!

 

De acordo com a reportagem no Público de hoje e declarações do bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho e Pinto, isso foi “…um atentado à liberdade de expressão que lembra os piores tempos de antigamente.” Por sua vez, António Santos Carvalho, Juiz Desembargador, afirma que o que aconteceu em Braga identifica apenas “…o baixo nível cultural generalizado”.

 

E mais não digo.

Até pensei colocar a pintura de Coubert neste post, de forma a ilustrar a minha exposição, mas depois pensei que talvez fosse melhor não. Não fosse um dos meus visitantes um falso puritano ou um agente da PSP e ainda iam apreender o meu cantinho onde sou livre de expressar o que bem quero e como quero.

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.