Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

The Nameless Blog

Já foi “Som das Letras” e um narcisista “Blogue da Paula”. Foi um prolongamento da eterna ínsula, tendo sido denominado como “Ilha Paula”. Hoje, é um blogue sem nome para que seja aquilo que sempre foi: um blogue sobre tudo e nada.

Instagramei Março

O mês de Março está a horas de chegar ao fim e, como já tem sido hábito no final de cada mês, apresento-vos as fotos que preencheram o meu mês. Aqui vamos encontrar ainda um pouco de Boston mas, acima de tudo, vamos encontrar as visões obtidas dos passeios dados neste mês que ainda nos ofertou uns dias de sol, antes da chegada da tão ansiada Primavera. 

 

Good Vibes #11



Este tem sido o meu mantra nos últimos tempos e, apesar de não aparecer aquilo que ando à procura com toda a intensidade que tenho, não baixo os braços e continuo a acordar todos os dias com esta frase na cabeça


Better things are coming!!!

Notas Soltas #3

O tempo não está para grandes aventuras, nem para grandes saídas, nem para grandes ou pequenos passeios. Não está para estar na rua, vá! Desta forma, as "Notas Soltas" de hoje são dedicadas às minhas horas passadas do conforto do meu lar.

 

I. Um doce: Tarde de Brigadeiro

Ando com uma vontade de comer brigadeiros há muito tempo e hoje era suposto fazer um dos meus doces favoritos. Pelo menos, era esta a ideia inicial quando atirei, literalmente, os ingredientes necessários para fazer este doce altamente calórico – leite condensado e chocolate em pó. Mas, como ando numa de inventar, tal como foi com a última sobremesa que preparei (o cheesecake de morangos em camadas que podem ver aqui), em vez de fazer os “simples” brigadeiros, fiz uma Tarte de Brigadeiro, com uma base de massa quebrada.

É boa, porém enjoativa. É impossível comer mais do que uma fatia seguida. Para a próxima, penso adicionar umas natas azedas e ver se o resultado fica melhor (e por “melhor” quero dizer “menos enjoativa).

 

 

 

II. Um prato: Rolo de Carne com Queijo e Fiambre acompanhado com Batatas Assadas

Eu agora podia estar a falar que fiz o rolo de carne com 1001 passos, mas não vou fazê-lo. Comprei-o num supermercado perto de casa e foi metê-lo do forno e esperar pelo resultado e, podemos dizer, que o resultado foi muito bom. É uma refeição que se faz em 35 minutos e faz um figuraço no matter what, quer seja num jantar a dois ou para um jantar com amigos.

 

 

 

III. Um programa de TV: The Voice Portugal

Os serões de domingo à noite irão ser muito mais divertidos com o programa The Voice Portugal que estreou hoje na RTP1.

O que mais me agradou neste conceito foi o facto dos mentores estarem apenas concentrados na voz dos participantes, coisa que não se vê na maior parte dos programas similares, onde o corpo e o visual é procurado e estudado ao pormenor. Aqui não. Aqui a voz é líder e senhora.

Adorei assistir à emoção dos quatro mentores – Anselmo Ralph, Rui Reininho, Micael Carreira e Marisa Liz – nas provas cegas e aquele nervoso miudinho sem saberem se deviam ou não virar a cadeira.

Muito bom e a seguir.

 

IV. Uma obsessão: vernizes

Tenho uma colecção imensa de vernizes, das mais variadas cores. Umas perfeitas para o verão e outras dignas de um inverno chuvoso.

Hoje, apresento-vos as 3 últimas aquisições da colecção: 3 tonalidades da MyLabel, à venda nos supermercados Continente. As escolhidas foram a número 236 com um azul forte, a 29 de um vermelho confiante e a 221 de um camel amoroso. Das três, a cor escolhida para esta semana foi a azul.

 

 

De algum tempo para cá que ando a adquirir alguns produtos MyLabel. São económicos e, até ao momento, não me têm deixado mal.

 

V. Um livro: Há mil anos que não te via, Alexandra Solnado

À partida, um livro assinado por Alexandra Solnado era coisa para a minha carteira continuar fechado, sem a tentação de sacar com o cartão e aumentar a minha biblioteca. Porém, uma simples frase de uma amiga minha, fez-me pensar melhor e dar a mão à palmatória e comprei o meu primeiro livro de Alexandra Solnado.

Ainda não o li, por isso não posso tecer qualquer comentário – positivo ou negativo – acerca da obra. Posso, no entanto, deixar-vos a sinopse, de forma a ver se ficam cativados como eu fiquei.

 

“Boa sorte para a tua vida … É o que Inês diz cada vez que se quer livrar de alguém. Ou porque não suporta a pessoa em questão, o que não se aplica absolutamente a Pietro, ou porque não suporta o turbilhão de emoções que essa pessoa lhe provoca. E isto aplica-se absolutamente a ele. Não consegue suportar esta aflição no coração, tonturas, taquicardia. Aquele aperto que sentiu a primavera vez que viu a Fontana di Trevi era apenas uma amostra do que aconteceu quando viu Pietro no restaurante. E do que sentiu durante toda a noite enquanto ele a serviu. Aumentou assustadoramente de intensidade quando segurou na mão dele para beber a água da Fontanina degli Innamorati. Mas o mais insuportável foi quando ficou de mãos dadas com ele em frente à fonte grande. O seu coração parecia que lhe ia saltar da boca, as pernas tremiam e a voz na sua cabeça dizia-lhe para largar aquela mão. Que dali viria uma força tão poderosa que iria derrubar todas as construções que tinham sido tão difíceis de edificar na sua vida. Iria fazer tremer todas as suas certezas. Aquela força estava ali para a desfazer, para destruir as suas defesas, e depois dirigir-se directamente ao lugar mais precioso. E, sem nenhum tipo de complacência, forçar a abertura. Iria abrir o seu coração e mostrar-lhe o que ela, Inês, viera fazer à vida.”

 

Esta é uma história de amor de vidas passadas e esta frase fez-me abrir a carteira, tirar o cartão e aumentar a minha biblioteca pessoal.

Obrigada, Rita, pela sugestão.

 

 

E foi basicamente isto!

Como ando num estado de primavera invernosa, tal como o tempo, é aquilo que se consegue por aqui.

Pág. 1/8